Leishmaniose: Cutânea, Tegumentar e Visceral Canina!






Veja o que é, tratamento e prevenção da Leishmaniose cutânea, tegumentar e visceral canina.

Você já ouviu falar desta doença?

Conhece seus sintomas?

Talvez você já tenha lido em algum lugar, que esta é uma doença que tem preocupado órgãos de saúde pública em todo o mundo.




E isto é verdade.

Somente a Antártica e a Austrália não abrigam os parasitas causadores da doença.

Conforme a OMS, em torno de 2 milhões de pessoas são acometidas por esta patologia anualmente.

O que é

Trata–se de uma patologia infecciosa provocada por parasitas do gênero Leishmania.

O agente etiológico é um protozoário que torna animais silvestres e insetos flebotomíneos, seus principais hospedeiros.

Porém, o que tem causado grande preocupação é que o cachorro doméstico também hospeda o parasita.

Sendo assim, a doença pode chegar mais facilmente ao homem e muitas vezes a fonte de infecção é justamente de procedência canina.

Transmissão

Os principais transmissores são os flebotomíneos ou flebótomos.

São insetos bem pequenos, capazes até mesmo de atravessar os tecidos dos mosquiteiros.

Medem cerca de 3 mm de comprimento, possuem asas brancas se alimentam de sangue, ou seja são hematófagos.

É um tipo de mosquito conhecido por diversos nomes.

Estes vão variando conforme o local em que são encontrados.

Devido a isto este inseto é conhecido popularmente como: mosquito – palha, asa branca, cangalinha, entre outros.

macrofagos flebotomineo preguicas

O habitat preferido destes insetos são os locais úmidos e escuros.

A forma de transmissão se dá através do mosquito.

Este pica os animais infectados, guarda em seu tubo digestivo o parasita, e depois pica o homem passando a doença.

Tipos

A Leishmaniose pode ocorrer de duas formas:

Tegumentar ou Cutânea

Que afeta a pele deixando feridas nas partes visíveis do corpo. As lesões são chamadas de ferida brava.

Visceral ou Calazar

Conhecer os principais sintomas é importante, pois assim pode-se buscar ajuda médica o quanto antes.

Leishmaniose Visceral é o tipo mais perigoso deste mal, por isto todo cuidado é preciso.




Este tipo afeta os órgãos internos do corpo.

Afeta o fígado, medula, baço e outros. Atinge principalmente crianças até 10 anos de idade. Veja abaixo os principais sintomas desta doença.

Sintomas da Leishmaniose

Visceral ou Calazar apresenta sinais como:

– Febre;

– Anemia;

– Indisposição;

flebótomos roedores silvestres  tamanduá

– Ausência de apetite;

– Perda de peso;

– Inchação abdominal;

– Aumento do fígado e do baço;

– Palidez excessiva.

Na Tegumentar ou Cutânea os sintomas se manifestam exatamente na parte do corpo em o mosquito picou.

Neste local surge primeiramente uma pequenina bolinha, semelhante a uma espinha.

Mas, a lesão vai crescendo e se transformando em uma grande ferida com secreção e coberta por uma crosta.

Esta forma da doença faz também surgir lesões na boca e nariz.

A doença não é contagiosa e tem cura, mas é bastante séria.

A Visceral ou Calazar pode levar à morte.

Veja abaixo as formas de tratamento e medidas de prevenção.

Tratamento e Prevenção da Leishmaniose

O tratamento é feito por meio de medicação conforme receita médica.

Alguns cuidados podem prevenir a patologia. Veja as dicas:

– Evite o mosquito, fazendo limpeza no quintal e não dando chance para que se reproduza;

– Cuide muito bem de seu cachorro. Se notar algum ferimento, leve-o ao veterinário imediatamente;

– Mantenha a casa sempre limpa para evitar a presença de mosquitos, vetores do parasita.

É uma grave condição que pode atingir seriamente a saúde humana.

Manter-se informado, conhecer os sintomas e saber o que causa a doença é o primeiro passo no caminho da prevenção.

Portanto, compartilhe as informações.

Comente.

Dê sua opinião.

Contribua para o conhecimento de todos.

Clique aqui agora para ver a transmissão, diagnóstico, prevenção da Leptospirose

Recomendado para você:






Política de Privacidade