Vírus Ebola: Como Surgiu, os Sintomas e se tem Cura!



Conheça tudo sobre Vírus Ebola. Veja como surgiu, os sintomas e se tem cura!

É um assunto do qual muito se fala atualmente. Não há quem não fique em estado de alerta ao ouvir o termo. Surgiu no Zaire (hoje denominado República Democrática do Congo), segundo a Wikipédia.

Como surgiu

Por volta de 1976, houve o desencadeamento de dois surtos: um no Congo, nas proximidades do rio Ebola, fato que originou o nome da doença e outro no Sudão.

Para não associar à terrível doença, o nome da comunidade em que fora descoberta, Peter Piot, microbiologista belga, descobridor da doença resolveu, junto com seus colegas, dar a esta o nome do rio – Ebola. Segundo especialistas e estudiosos ele faz dos morcegos seus hospedeiros principais.

Causador de febre hemorrágica letal em 90% dos casos, é responsável por milhares de mortes, segundo informações da Organização Mundial de Saúde (OMS). A doença é transmitida por meio de contato com sangue e fluidos corporais dos portadores.

Como acontece a Doença

Ao adentrar um organismo humano, tem um período de incubação de até 16 dias. Somente depois deste tempo ele começa a manifestar-se. Neste caso sua ação é caótica. Ele segue destruindo vasos sanguíneos em órgãos importantes do corpo. Causa prejuízos nos rins, fígado, testículos, ovários e outros.

Sintomas

– Musculares (dor e fadiga);

– Dor de cabeça;

– Ausência de apetite;

– Náuseas;

– Confusão mental;

– Complicações do sistema nervoso central;

– Olhos vermelhos;

– Faringe e pulmões (soluço, garganta inflamada, falta de ar, dificuldade engolir);

– Sistêmico (febre, falta de apetite, hemorragia interna);

– Articulações (dores);

– Intestino (diarreia);

nao e transmitido por mosquito condicoes sanitarias dispersao e lenta

– Estômago (dor e vômito);

– Pele (hemorragia);

– Dor torácica.

Quando a doença se agrava inicia -se um quadro de sangramento assustador. Durante dias, a vítima sofre sangramentos a partir de diversas partes do corpo. Olhos, nariz, boca, gengivas e reto sangram sem parar. O paciente morre em torno de 7 dias.



Tratamento

Apesar dos vários estudos e pesquisas que têm sido realizados, ainda não tem cura. Há no entanto, tratamento que em muitos casos auxilia nosso sistemas de defesa a combater a doença. Não se trata de tratamento específico para combate-lo. São procedimentos para aliviar os sintomas e hidratar o corpo. O principal objetivo da parte terapêutica é:

– Manter em equilíbrio os fluidos e eletrólitos do organismo afetado;

– Aplicar anticoagulantes para não permitir o descontrole da coagulação dentro dos vasos sanguíneos (evitar coagulação intravascular disseminada);

– Impedir sangramentos;

– Equilibrar e manter os níveis ideais de oxigênio;

– Cuidar de prováveis infecções secundárias, que possam surgir, com a utilização de antibióticos.

Foto

Segue abaixo sua imagem:

nao e transmitido pelo ar secrecoes respiratorias unidade hospitalar contaminacao acidental material biologico

Prevenção

As formas de prevenção para tentar evitar o contágio são simples cuidados que devem ser tomados, especificamente nos locais onde se encontram doentes.

A única forma de prevenir é evitar o contato direto com pessoas portadoras. A contaminação se dá através de fluidos corporais. Portanto, até o suor pode ser responsável pela transmissão.

Na África há o costume de lavar os mortos antes do enterro. Esta prática tornou-se letal pois, foi responsável pela sua disseminação na população.

Atualmente ainda se luta na tentativa de encontrar alternativas de tratamento e sua cura.

Segundo informações da Organização Mundial de Saúde, ainda não há uma vacina comprovadamente eficaz para combate-lo.

As pesquisas continuam, diversas vacinas vêm sendo testadas, mas nenhuma está preparada e pronta para uso clínico.

Há vários artigos especializados disponíveis na internet sobre esta enfermidade bastando apenas executar o download em pdf.

Ainda há um longo caminho a percorrer.

Clique aqui agora para ver como se pega a transmissão do HPV

diminuidor