Infarto: Sintomas, Causas, Tratamento e Tipos do Miocárdio!




Infarto na População Brasileira Incidência

Veja os sintomas, causas, tratamento e tipos de Infarto agudo e fulminante do miocárdio!




O que é

O infarto ou enfarte, também conhecido por infarto agudo do miocárdio, ataque cardíaco ou parada cardíaca ocorre quando há interrupção de fluxo sanguíneo ao músculo cardíaco (miocárdio) por um determinado tempo, ocasionando danos ou até mesmo a morte deste músculo.
Em alguns casos, o infarto é fulminante, por este motivo, quando o paciente identificar os primeiros sintomas, deve procurar um médico imediatamente a fim de evitar danos significativos e/ou permanentes.
Muitas pessoas confundem o infarto com o AVC (Acidente Vascular Cerebral) e o derrame, no entanto estas são enfermidades diferentes. Todas são classificadas como doenças cardiovasculares, e segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), são as responsáveis atualmente pelo maior número de mortes no mundo.
O AVC Ocorre quando há a obstrução ou ruptura de uma das artérias que levam oxigênio ao cérebro. E isto ocorre na maioria das vezes, devido a aterosclerose, por este motivo, é dita como sendo uma doença cardiovascular.
o derrame ocorre quando vasos sanguíneos se rompem e causam sangramento no cérebro. Um derrame pode ser consequência de um AVC hemorrágico.
O infarto acontece quando a obstrução ou ruptura de uma das artérias impede a chegada de oxigênio ao coração.




Causas

O infarto ocorre quando as artérias coronárias, responsáveis por transportar oxigênio até o coração encontram-se obstruídas por um coágulo de sangue que se forma em cima de um ateroma (placa de gordura) existente em uma de suas paredes internas.

Quando uma pessoa possui placas de gordura em seu sangue, dizemos que ela possui aterosclerose. Quanto maior for a placa de gordura sobre a parede arterial, maior será o risco de uma pessoa sofrer um infarto.

infartar séptico pré masculino fatores de risco remédios que causam vídeo pressão sobe ou desce







De maneira geral, diz-se que o primeiro sintoma do infarto, ocorre quando o grau de obstrução for superior a 70%, nesta situação a pessoa passa a ter angina, que nada mais é a dor no peito decorrentes de esforços físicos.

Antes, tinha-se a ideia de que o infarto ocorria quando as placas de gordura cresciam tanto que possibilitam o fechamento da artéria. Atualmente sabe-se que o fechamento da artéria ocorre devido o desprendimento de uma dessas placas que dão originam coágulos capazes de obstruir por completo o vaso.

Outra importante descoberta foi a de que o infarto pode ocorrer em pessoas que possuem pequenas placas de aterosclerose, e nesta fase, as placas de gordura, são assintomáticas.

Por este motivo, sabe-se hoje que entre 50 e 60% dos infartos acontecem em pessoas assintomáticas. Nestes casos, a identificação da aterosclerose ocorre através de constantes check-ups.

Existe vários tipos de infarto.

Ele pode ocorrer a partir de espasmos de uma artéria coronária, e estes espasmos podem ser causados por pessoas que fazem uso de drogas, tais como a cocaína.

Ou então, devido a ruptura de uma das artérias do miocárdio, ou coágulos de sangue originados em outras partes do corpo que chegam até as artérias, ou ainda devido a diminuições bruscas do fluxo sanguíneo, como consequência de pressões arteriais baixas.




Fatores de risco

Dentre os fatores de risco para ocorrência do infarto, pode-se citar:

• Homens com idade acima de 45 anos;

• Mulheres com 55 anos ou mais;

• Fumantes;

• Hipertensos;

• Pessoas que possuem colesterol alto;

• Diabéticos;

• Pessoas com histórico na família;

• Obesos;

• Sedentários;

• Pessoas estressadas;

• Alcoólatras;

• Pessoas que fazem uso de drogas, em especial, de cocaína.

enfartar patologia silencioso  primeiros socorros causa sangramento quantos infartos uma pessoa pode ter

Sintomas

• Aperto no meio do peito, que se espalha para o braço esquerdo;

• Sudorese;

• Náuseas;

• Palidez;

• Fraqueza intensa;

• Falta de ar;

• Palpitações;

• Fadiga;

• Sonolência;

• Tontura e/ou desmaio

Nas mulheres, os sintomas costumam ser menos aparentes e incluem, falta de ar e agulhadas no peito.





Vale ressaltar ainda que nem todos os infartos costumar dar sinais assim tão claros, muitos deles costumam ser silenciosos. Deste modo, pode-se dizer que um infarto pode acontecer em qualquer local e em qualquer hora do dia, seja no trabalho, em casa descansando, ou praticando exercícios. Existe casos em que, o paciente está infartado há alguns dias até perceber alguma alteração significativa em seu organismo.

Muitas pessoas costumam confundir parada cardíaca com infarto, porém os dois não são sinônimos. Um infarto pode originar uma parada cardíaca, porém nem toda parada cardíaca é proveniente de um infarto.

Diagnóstico

Caso a pessoa esteja sentindo um ou mais sintomas dos listados acima, deve procurar imediatamente ajuda médica. Quando mais cedo, buscar ajuda, menor será os danos provocados ao miocárdio e mais rápida será a recuperação do paciente.

O diagnóstico será realizado por um médico através da verificação da pressão arterial, pulso, temperatura e investigação do histórico do paciente.

asséptico  pode matar  pdf feminino wikipedia  com menos de 30 anos

Exames também serão necessários para a confirmação do quadro, dentre eles:

• Eletrocardiograma (ECG);

• Exames de sangue.

Poderá ser solicitado pelo médico alguns exames adicionais, como por exemplo:

• Radiografia do tórax;

• Ecocardiograma;

Cateterismo (angiografia);

• Teste Ergométrico;

• Cintilografia do Miocárdio;

• Tomografia Computadorizada (TC).

Tratamento

O tratamento do infarto dependerá do quadro clínico do paciente. Em alguns casos, apenas será administrado medicamentos, em outros, o mesmo será submetido a cirurgias para desobstrução das artérias ou ainda a utilização de ambos.





Medicamentos

Entre os medicamentos utilizados para o tratamento de ataques cardíacos, pode-se citar:

• Ácido acetilsalicílico;

• Analgésicos;

• Betabloqueadores;

• Nitroglicerina;

• Medicamentos para o colesterol;

• Trombolíticos;

• Dentre outros.

Somente um médico poderá indicar o remédio adequado bem como a dosagem correta ao paciente, sendo assim nunca se deve realizar a automedicação, ou ainda interromper o tratamento sem o conhecimento de um médico especialista.

Clique aqui agora para ver a partir de quanto a Pressão Baixa dá dor de cabeça

Recomendado para você:






Política de Privacidade