Rubéola: Agente Etiológico e a Transmissão na Gravidez!



Veja qual é o agente etiológico e transmissão da Rubéola congênita, na gravidez e se coça.

É uma doença que você, com certeza, já ouviu falar, não é?

É claro que você gostaria de saber um pouco mais sobre ela.

Principalmente se tem criança em casa.

Para saber sobre esta patologia, navegue pelo post e fique por dentro de muita coisa sobre ela.

O que é

É uma patologia infecciosa causada por um vírus RNA da família Togavírus.

A doença é contagiosa e sua transmissão ocorre por via respiratória.

Isto significa que uma tosse ou espirro pode levar a outras pessoas gotinhas de secreção, quase não visíveis, que podem contaminar.

É conhecida por muitos como Sarampo Alemão.

Possui uma característica marcante que são manchinhas vermelhas espalhadas pelo corpo.

Este é um traço identificador da doença. Estas manchas aparecem primeiramente nas faces e atrás das orelhas.

Daí vão disseminando-se pelo resto do corpo.

Na Gravidez

Existe também a Rubéola Congênita, que ocorre na gravidez.

Quando afeta mulheres grávidas, nos primeiros meses, traz desastrosas consequências para o feto.

Pode provocar no bebê: má-formação congênita, problemas visuais, alterações cardíacas e surdez.

Portanto, é essencial que durante o Pré-natal, a futura mamãe seja submetida a sorologia para a Rubéola.

É exame de sangue que possui a particularidade de diagnosticar se existem no organismo da grávida, anticorpos específicos para esta virose.

A sorologia é capaz de identificar anticorpos IgM e IgG.

IgM – Quando o exame acusa presença de anticorpos IgM contra rubéola, ou seja sorologia positiva para IgM, significa que a doença está em curso.

A grávida foi infectada nas últimas 6 semanas e seu corpo está produzindo imunoglobulinas M ou IgM – que são os primeiros anticorpos.

IgG – O IgG é anticorpo de memória.

Significa que a pessoa já teve a doença e seu organismo criou mecanismos de defesa contra ela.

Estes anticorpos ficam no sangue pelo resto da vida, como se fossem guardiões, prontos a atacar aquele vírus, caso ele invada o corpo novamente.



Este tipo de anticorpo pode ter sido obtido também por indução da vacina.

Quando o exame da gestante mostra IgG reagente ou positivo, é uma ótima notícia, pois quer dizer que a grávida está imune à esta doença.

Fotos

Entre as várias encontradas online escolhemos a mostrada abaixo:

benigna parvovirose

Sintomas

Os sinais característicos desta doença são bem parecidos com os de outras doenças infantis como: sarampo, caxumba e catapora.

Veja os sintomas principais:

– Febre;

– Manchas vermelhas na pele (Exantemas);

– Dor de cabeça;

– Surgem gânglios ou linfonodos (são ínguas);

– Coriza;

– Dor ao engolir;

– Mal estar ;

É uma patologia que está no grupo de exantemas virais que acometem as crianças.

Este grupo é composto de 5 doenças que causam manchas vermelhas e febre. Raramente uma criança atravessa a infância sem passar por uma delas, ou todas.

Elas são: a Rubéola, a Varicela, o sarampo, Roséola e Eritema infeccioso.

Como Tratar

O tratamento é para atenuar os sintomas.

É sintomático. Envolve o cuidado e o controle da febre e alívio das dores.

Geralmente é receitado repouso e medicamentos analgésicos e antitérmicos.

A prevenção é feita através de vacina.

No caso desta doença ela é 100% eficaz.

Toda criança deve ser vacinada aos 15 meses de idade.

Mulheres adultas que pretendem ter filhos, devem buscar vacinar-se antes de engravidar.

É doença que não acarreta grandes consequências, a não ser em casos de gravidez.

Você já teve esta doença na infância?

Comente aqui como foi.

Clique aqui agora para ver as causas da transmissão e prevenção do Sarampo