Refluxo: Tem tratamento e Cura o Gastroesofágico em Bebês?






Veja o que é o Refluxo gastroesofágico e oculto em bebês. Veja o remédio para tratamento.

Refluxo é uma doença chamada pelos médicos de Refluxo Gastroesofágico.

Sua sigla é DRGE.

Quem possui este problema sabe o quanto ele é desagradável.




Se você sofre este transtorno, com certeza deve querer saber como ele acontece.

Para entender, continue lendo este post.

Logo aqui abaixo você verá um esquema de como ele ocorre em nosso corpo.

Saiba o que é

O problema acontece quando ácidos estomacais ou/e ácidos biliares, retornam para o esôfago ao invés de seguirem o fluxo normal.

Estes ácidos causam irritação nos tecidos que recobrem a as paredes do esôfago, e fazem a pessoa sentir azia, mal estar, queimação.

Veja parte por parte como isto acontece:

Quando você se alimenta, a comida segue por seu sistema digestivo.
Veja o caminho que percorre:

O alimento entra pela boca;

Segue pela garganta;

Passa pela faringe;

Entra no esôfago;

E chega ao estômago;

Em nosso sistema digestivo possuímos duas pequenas válvulas que ficam entre o estômago e o esôfago (tubo que vai da faringe ao estômago).

A primeira delas chama-se esfíncter esofágico superior – Ela se abre para que o alimento passe da faringe para o estômago.

A outra chama-se esfíncter esofágico inferior – Primeiramente ela relaxa e deixa passar o alimento. Ela se fecha depois que o alimento chega no estômago.

antiacido pepsamar omeprazol sonrisal rocinetico plasil metaclopramida domperidona protetor gastrico sucralfato

A função deste esfíncter inferior é fechar-se automaticamente, quando a comida está no estômago. Ela impede que os ácidos estomacais ou ácidos biliares afetem o esôfago.

Quando este esfíncter esofágico inferior não se fecha, ácidos do estômago e muitas vezes ácidos biliares, sobem para o esôfago, causando os sintomas característicos desta doença.

Nas pessoas que sofrem do gastroesofágico o esfíncter inferior não se fecha após a passagem do alimento e neste caso, há retorno de conteúdo estomacal.

Muita gente confunde esta patologia com a Gastrite.

Ambas são doenças do sistema digestório.

Mas, são diferentes.

A gastrite é uma inflamação da mucosa estomacal.

O que há de comum entre estas doenças é que ambas sofrem refluxos.

Mas na gastrite ocorre o refluxo biliar.

É quando a bile (líquido produzido no fígado) retorna do intestino para o estômago.

O gastroesofágico sofre consequências tanto do refluxo que se dá do estômago para o esôfago, quanto do refluxo biliar.




Sintomas

Alguns sintomas são característicos desta patologia.

Representam sinais de alerta para nos indicar que algo não está bem.

Por isto esteja atento para:

– Azia;

– Náuseas depois de comer;

– Queimação no esôfago;

Tosse seca;

– Garganta irritada e dolorida;

– Dor no peito;

– Dificuldade para engolir.

Quando afeta os bebês

Esta patologia não afeta apenas adultos.

É um problema que pode ocorrer também em crianças.

Até mesmo em bebês.

Até seis meses de idade os pequeninos vomitam ou regurgitam com muita frequência, e isso acaba trazendo de volta, conteúdo estomacal para o esôfago.

Até aí é normal.

Porém, é preciso acompanhar com atenção.

Se este quadro continuar, mesmo após os bebês começarem com a alimentação consistente, cuidados médicos serão necessários.

agua com limao cha de gengibre cha de camomila vinagre de maca suco de babosa

Fatores de risco

Alguns fatores de risco contribuem para tornar o indivíduo mais vulnerável a esta doença.

Alguns deles são: a Hérnia de hiato, a Diabetes, a Asma, Gravidez, Obesidade, Fumar, entre outros.

É sempre bom saber sobre eles, pois deixam você à mercê deste problema.

Tratamento

Para tratar o problema o ideal é buscar um médico, mas saiba que esta doença tem cura.

Um profissional de Saúde saberá indicar o melhor remédio.

E além disso, poderá verificar a causa desta doença.

Muitas pessoas costumam usar antiácidos para aliviar os sintomas, mas nem sempre isto resolve.

Uma boa pedida para melhorar é com relação à alimentação.

Você pode retirar de sua dieta, todos os alimentos que provocam o problema. Saiba aqui quais são.

Alimentos que devem ser evitados

Quem deste mal deve fazer o possível para alcançar a melhora.

Além de ser muito desagradável e incômodo, pode causar Esofagite de Refluxo.

É uma inflamação no esôfago, que é consequência da passagem de ácidos digestivos, vindos do estômago, muitas vezes, através deste órgão.

Por tudo isto é que vale a pena fazer uma dieta evitando alimentos como: bebidas alcoólicas, café, mate, frituras, comidas ácidas, chocolate, entre outras.

Esta doença é um mal que pode ser evitado.

Para isto, é preciso adotar algumas atitudes como comer 3 horas antes de deitar.

Não ficar longo tempo sem se alimentar, comer devagar e mastigar bem os alimentos.

Se você sofre deste mal, conte para nós como se cuida.

Clique aqui agora para ver qual é o agente etiológico e transmissão da Rubéola congênita

Recomendado para você:






Política de Privacidade