Lúpus: Sintomas Iniciais do Eritematoso Sistêmico com Fotos!





Veja os sintomas iniciais do Lúpus eritematoso sistêmico com fotos. Com o tratamento tem cura?

É uma doença autoimune.

É chamada de Lúpus Eritematoso Sistêmico – LES.

É uma patologia que afeta principalmente as mulheres.




Se expressa através de reações na pele, no cérebro, nos rins, nas articulações e outros órgãos.

A doença ocorre quando o corpo começa a produzir anticorpos contra o DNA e contra o núcleo das células do próprio organismo.

Neste caso, podemos imaginar o caos em que o organismo se transforma já que precisa lutar contra si mesmo.

A dificuldade de seu tratamento é por que prejudica o funcionamento do corpóreo.

Por engano ele afeta tecidos e órgãos essenciais do corpo.

A doença se manifesta de várias formas.

Veja os tipos abaixo.

Tipos de Lúpus

Discóide

Acomete essencialmente ao homem.

Se manifesta através de lesões cutâneas.

Induzido

O induzido acontece devido ao uso de algum tipo de droga ou medicamento que desencadeia uma inflamação semelhante ao sistêmico.

Sistêmico

Este não fica restrito à pele.

Afeta os sistemas do corpo.

A foto abaixo ilustra como ocorre o Lúpus Eritematoso Sistêmico e os órgãos que afeta.

intermitencia das manifestacoes clinicas desanimo cansaco perda de apetite

Sintomas Iniciais

Os sinais de manifestação da doença dependem muito do local afetado.

Porém, alguns são comuns e acontecem de forma às vezes leve, e às vezes grave.

Devemos considerar que estes sinais aparecem e desaparecem de uma hora para outra, pois a doença se apresenta de forma inconstante.

Com episódios de máximo mal estar e de normalidade.

Os sintomas mais comuns são:

– Dores pelo corpo;

– Rash cutâneo;

– Inchação;

– Ansiedade;

– Rigidez dos músculos;

– Febre;

– Problemas respiratórios.




O que causa

Ainda não se constatou uma causa concreta para esta doença.

Ela parece ser provocada por múltiplos fatores tanto genéticos quanto ambientais.

Sabe-se que não é contagioso.

Tratamento do Lúpus

É inteiramente tratável, porém não tem cura.

O essencial do tratamento é conciliar os sintomas para melhorar a qualidade de vida do paciente.

Ajudar a pessoa a conviver com a doença é um dos pontos considerados.

No decorrer das crises são usados alguns medicamentos à base de anti-inflamatórios e corticoides.

Também são utilizados protetores solar, cremes para lubrificação da pele e para melhora de lesões.

alimentacao balanceada atividade fisica regular nao e uma doenca hereditaria

Cuidados que vale a pena ter e dicas

Quem tem esta doença deve adotar certos cuidados.

É essencial a vigilância do sistema cardíaco.

A verificação do sistema ósseo também é importante, para afastar a possibilidade de osteoporose.

Algumas dicas são relevantes pois, os pacientes portadores desta doença tem períodos de crise em que a doença está em plena atividade e intervalos onde os sintomas não se manifestam.

Alguns conseguem passar anos sem problemas, diz-se que estão em fases de remissão.

Por isto, é bom ficar por dentro de como evitar alguns fatores que podem prejudicar esta boa fase e favorecer a reativação da patologia.

Portanto, se você tem esta doença:

– Tome muito cuidado na gravidez;

– Cuide-se para não cair em um estresse mental;

– Evite a estafa;

– Cuide-se muito bem nas infecções;

– Fique longe do cigarro;

– Não se exponha ao sol excessivamente;

– Nunca abandone seu tratamento.

É uma doença ruim, mas tem jeito e não se pega!

Muita gente convive muito bem com ela.

Para estar sempre bem é preciso ficar atento.

Clique aqui agora para ver como pega a transmissão, prevenção e sequelas da Meningite meningocócica

Recomendado para você:






Política de Privacidade