Leucemia: Tipos, Sintomas e Tratamento. Tem Cura a Doença?






Veja os tipos de Leucemia e os sintomas iniciais. O hemograma é suficiente para iniciar o tratamento?

É um tipo de câncer que se desenvolve na medula óssea, que é um tecido mole gelatinoso localizado na cavidade dos ossos.

Este tecido é responsável pela produção dos componentes sanguíneos.

É popularmente conhecido como tutano.




A doença é bastante delicada, especialmente por afetar os glóbulos brancos ou leucócitos que são componentes sanguíneos que defendem o organismo.

Provoca uma reprodução descontrolada da célula.

Tipos

Este tipo de câncer é classificado em categorias. Ele se divide em dois tipos principais, que são identificados conforme o tipo de célula afetada. Desta forma temos:

Linfoide

Afeta as células linfoides da medula óssea. Estas células linfoides são as que vão originar Linfócitos T ou Linfócitos B (são células de defesa do organismo)

Mieloide

O câncer aparece nas células mieloides da medula óssea. As células mieloides dão origem aos neutrófilos, basófilos, mastócitos, eosinófilos. (Células de defesa).

Também é classificada conforme a rapidez com que estas células malignas se reproduzem. Sendo assim temos:

As agudas

Apresentam-se rapidamente e logo expressam sintomas.

Denominam-se: Leucemia Linfoide Aguda e Leucemia Mieloide Aguda

As crônicas

Vão avançando mais lentamente e demoram longo tempo para manifestarem-se, portanto os sintomas demoram a aparecer.

São chamadas de Leucemia Linfoide Crônica e Leucemia Mieloide Crônica.

fraqueza fadiga sangramento nasal linfonodos inflamados benzeno

Leucemia ou Linfoma

Muito se fala tanto nesta enfermidade como também em linfoma.

E muitas pessoas confundem estas patologias.

A confusão é natural já que elas possuem algumas semelhanças.

Apesar de ambas serem tipos de câncer, possuem diferenças importantes.

Observe o quadro e confira você mesmo:



Linfoma É um tipo de câncer maligno que acomete as células do sistema linfático.Causa a reprodução desordenada dos linfócitos.
Leucemia É um tipo de câncer maligno que se origina na medula óssea. Acomete os glóbulos brancos do sangue. Causa reprodução descontrolada e aglomeração destas células, impedindo a formação normal dos componentes sanguíneos.


Sintomas

Os sinais da doença são decorrentes da proliferação e acúmulo de células malignas na medula óssea.

É um tipo de câncer que não forma tumor.




No entanto, há aglomeração de células cancerosas que passam a impedir a produção normal dos componentes do sangue.

Isto acontece porque estas partículas doentes acabam ocupando muito espaço na medula óssea, não deixando espaço suficiente para os outros componentes do sangue se reproduzirem.

Devido a isto há irregularidade, redução e deficiência na produção dos elementos normais do sangue.

É isto, que desencadeia diversos problemas que acarretam os sintomas.

O organismo fica completamente exposto e indefeso.

Cada patologia gerada pelo crescimento destas células do câncer, acarreta determinados sinais.

Quanto maior e mais veloz for a produção delas, mais sintomas vão se manifestando.

Veja o que ocorre:

O declínio na formação de glóbulos brancos é uma porta aberta para as infecções.

Neste caso há deficiência nos glóbulos brancos.

Isto traz redução de plaquetas e os sintomas apresentados são:

Manchas roxas sem que tenha ocorrido alguma lesão ou trauma;

– Pontinhos vermelhos na pele indicando petéquias (pontos de sangue coagulado sob a pele);

– Dificuldade de coagulação do sangue em caso de ferimentos.

Quando a produção dos glóbulos vermelhos é prejudicada, instala-se a anemia. Causada pela redução na formação de glóbulos vermelhos normais.

Desencadeia sinais como:

– Sonolência;

– Moleza no corpo;

– Cansaço excessivo;

– Falta de ânimo;

– Palidez.

A produção irregular de plaquetas dá origem às hemorragias. Quando há queda na produção destas ocorre maior suscetibilidade quanto às infecções. Ou seja, a pessoa fica mais sujeita a adquirir infecções e apresenta febres frequentemente.

infeccoes reincidentes perda de peso inexplicada

Leucemia tem cura?

A cura depende de uma série de fatores.

Depende principalmente do tempo que leva para ser diagnosticada.

Quanto mais cedo houver o diagnóstico correto que identifica o tipo específico desta enfermidade, mais chances há de cura.

Há algumas formas de tratar esta patologia.

As principais formas de cuidado são: a radioterapia, a quimioterapia e o transplante de medula.

Mas, o tipo específico é fator relevante.

Reprogramação Genética

Esta é uma doença muito grave.

Atualmente já tem sido diagnosticada mais rapidamente e com mais precisão, devido a muitos avanços na tecnologia genética.

Neste último ano, uma nova pesquisa apresentada em um encontro científico trouxe nova esperança ao mundo.

Uma nova técnica capaz de reprogramar células T e que faz com que estas combatam o câncer foi testada.

Obteve sucesso em 94% dos casos, conseguindo eliminar o câncer do organismo das pessoas submetidas aos testes.

Leucemia é uma patologia de alta gravidade, que tem tirado muitas vidas.

No entanto, a cura completa pode vir da reprogramação genética.

Tudo indica que é este é o caminho certo.

Nossa torcida é para que este conhecimento científico cresça a cada dia, para possibilitar que mais pessoas sejam curadas.

E você o que acha da técnica capaz de produzir células geneticamente modificadas?

Há vários artigos científicos online a respeito desta doença para download em pdf.

Dê sua opinião.

Compartilhe.

Clique aqui agora para ver os sintomas iniciais do Lúpus eritematoso sistêmico

Recomendado para você:






Política de Privacidade